2º Concurso de Cerveja Artesanal da Amazônia

A Liga Amazônica(Acervas Pará, Amazonas, Amapá e Maranhão) está promovendo o Concurso de Cerveja Artesanal da Amazônia.

Os estilos a serem julgados serão:

  • 13C. British Porter
  • 21A. American IPA
  • Estilo livre com ingredientes regionais (amazônicos – poderá ser utilizado um ingrediente regional ou mais na receita).
    As características deste estilo devem obedecer o estilo base escolhido do BJCP. Os ingredientes utilizados devem ser especificados na ficha de inscrição.

Baixe o regulamento para mais informações: REGULAMENTO-DO-II-CONCURSO-DE-CERVEJA-ARTESANAL-DA-LIGA-AMAZÔNICA-DAS-ACERVAS (atualizado em 04/07/2017)

DATAS IMPORTANTES:

  • Inscrições até 11/08/2017 (NOVO PRAZO PARA INSCRIÇÕES – atualizado em 04/07)
  • Recebimento de amostrar até 18/08/2017
  • Julgamento 25/08/2017
  • Anúncio e Festa de entrega da premiação dia 26/08/2017

Preparativos para o mini workshop de Catharina Sour

Aconteceu nesta sexta-feira a preparação do mosto acidificado para ser usado no mini-workshop de Catharina Sour a ser realizado neste domingo dia 07 de Maio de 2017.

Para se inscrever basta acessar o link no Sympla e escolher a opção MINI WORKSHOP CATARINA SOUR:

https://www.sympla.com.br/como-criar-suas-proprias-receitas-de-cervejas__138172

O curso será realizado na loja Beers & Beer No Container Mall dia 07/05/2017 as 14horas

O que é e como surgiu o estilo Catharina Sour de cerveja?

Santa Catarina é uma referência para o mercado cervejeiro do Brasil. Cerca de 10% dos municípios do estado contam com empresas ligadas ao segmento. São 43 microcervejarias em funcionamento (consultar o Portal das Cervejarias) e mais 17 entre ciganas (produzidas de maneira terceirizada), brewpubs (bares que produzem a própria bebida) e indústrias em implantação. Organizadas na Associação das Micro Cervejarias Artesanais de Santa Catarina (Acasc), acabam de definir um estilo de cerveja artesanal em homenagem à tradição e à inovação que as marcas locais imprimiram no mercado nacional.

Batizado de Catharina Sour, o estilo foi definido em conjunto pelos cervejeiros locais e as premissas técnicas foram debatidas em um workshop, no sábado (27 de agosto). De acordo com Carlo Lapolli, presidente da entidade (autora de outras iniciativas colaborativas), o próximo passo é estimular que outras cervejarias façam esse estilo para que ele se consolide:

“Já temos algumas marcas que estão produzindo uma cerveja ácida inspirada na Berliner Weisse, como a Lohn Bier, Cerveja Blumenau, Itajahy e Liffey. Já confirmaram que farão também Kairós, Armada e Königs. Agora queremos estimular novos rótulos. Nossa intenção é fazermos um festival desse estilo em novembro, mês de Santa Catarina.”

Características sensoriais

Tecnicamente, a Catharina Sour é cerveja de trigo clara, refrescante, com uma acidez láctica limpa, adição de frutas e um nível alto de carbonatação.

“O sabor e aroma de frutas apoiam a acidez e não devem parecer artificial. O caráter de funky de brettanomyces é restringido. Pode conter especiarias para complementar o sabor da fruta”, explica Lapolli.

Fonte: http://revistabeerart.com/news/cerveja-de-sc

 

Curso: como criar suas próprias receitas de cervejas

Acontecera nesse sábado dia 07 de maio o Curso Como criar sua própria receita de cerveja.

Inscrições: https://www.sympla.com.br/como-criar-suas-proprias-receitas-de-cervejas__138172

Local Impact Hub Manaus

07 de Maio as 10:00hrs

 

Descrição do evento

Professor: Carlo Giovanni Lapolli, sommelier Doemens/ESCM, Diretor Comercial da Cerveja Blumenau, Presidente da Associação das Cervejarias Artesanais de SC e Pós Graduando em Tecnologia Cervejeira.
  • ESCOLHA DO ESTILO
  • GUIA DE ESTILOS
  • PARÂMETROS E CARACTERÍSTICAS DE ESTILO
  • MATÉRIAS-PRIMAS
  • CRIAÇÃO DA RECEITA
  • SOFTWARE CERVEJEIRO
CARGA HORARIA: 7 horas
 
 
Pré- requisito minimo : Conhecimento básico em produção de cerveja.
Contato: (92) 9 9459-6668

1o Encontro da Acerva Amazonense 2017

Atenção associados e amigos da Acerva Amazonense. Neste sábado, dia 04 de Fevereiro, realizaremos o Primeiro Encontro da Acerva Amazonense de 2017. A pauta da reunião é a seguinte:

  • Apresentação do Calendário de eventos desse semestre;
  • Definição da Diretoria;
  • Assuntos relacionados

Esta também é uma boa oportunidade para conhecermos os novos membros.

O encontro será realizado na loja Mestre-Cervejeiro.com a partir das 19 horas. Compareça.

Mestre-Cervejeiro Manaus

Endereço: Rua João Valério, 727 . Centro Comercial Itália.

Localização: https://goo.gl/nOKIAR

Curso de Processos Cervejeiros Avançado com Paulo Schiaveto

13901430_1855915614636779_3239208707401811323_n

Olá! Cervejeiro e Cervejeiras do Amazonas!!

Em Setembro vamos receber em Manaus o Mestre Cervejeiro Paulo Schiaveto, que ministrará o Curso de Processos Cervejeiros Avançado. Se você já produz cerveja e quer aprender mais ainda sobre o processo de produção esse é o seu curso.

Inscrições Online no Sympla: https://www.sympla.com.br/curso-de-processos-cervejeiros-avancados-com-paulo-schiaveto__81141

Inscrições Offline: acervaam@gmail.com e (92) 99459-6668

O curso terá duração de 4 dias:

Quarta Feira – 21/09  19:00 as 23:30

Quinta Feira – 22/09  19:00 as 23:30

Sexta Feira  – 23/09 19:00 as 23:30

Sábado       – 24/09 as 8:00 as 18:00

Carga Horária: 20 h

Conteúdo do curso:1

  • Formação de sabor e aroma na cerveja
    • Principais grupos de aromas e sua formação
    • Perfil organoléptico e estilos de cerveja
  • Matérias-Primas
    • Água – Aspectos de qualidade, tratamento
    • Malte – Cereais, malteação, tipos, aplicações
    • Lúpulo e produtos de lúpulo – cultivo, produção, aspectos de qualidade, tipos, aplicações
    • Adjuntos – aplicações, processos de produção, aspectos de qualidade
    • Especiarias – tipos, aplicações
  • A fabricação de mosto
    • Moagem
    • Mostura
    • Filtração de mosto
    • Fervura
    • Sedimentação de “Trub”
    • Resfriamento e aeração do mosto
  • Fermentação
    • Equipamentos
    • Levedura (tipos, conservação e propagação)
    • A fermentação primária
    • Maturação e refermentação
  • Processos Pós-Fermentação
    • Tratamentos pré-filtração
    • Filtração de cerveja
    • Tratamentos pós-filtração
    • Operações na adega de pressão
    • Priming
    • Pasteurização
    • Envasamento
  • Principais aromas, sabores e off-flavors na cerveja
    • Aromas mais encontrados
    • Concentração de percepção
    • Origem e controle
    • Off-flavours, contaminações (taints)
  • Contaminantes, Limpeza e Sanitização
    • Principais contaminantes microbiológicos
    • Processo de Limpeza
    • Processo de Sanitização

Informações e Inscrições: Acerva Amazonense acervaam@gmail.com/ (92) 99459-6668

Paulo Schiaveto

 

Sou engenheiro de Produção pela USP e mestre-cervejeiro, formado em Louvain-la-Neuve, Bélgica, em 1995.

Após trabalhar em grandes cervejarias por mais de 10 anos, em especial na área de qualidade e estabilidade de sabor das cervejas, atualmente presto assistência técnica na área cervejeira (engenharia, projeto e soluções em qualidade, produtividade e desenvolvimento de produtos).

Os serviços no Brasil/América do Sul são realizados  através da Schiaveto Consultoria. Para os demais países, trabalho como consultor assistente de CARA Technology, empresa inglesa de tecnologia na área de processos cervejeiros.

Sou também professor da Escola Superior de Cervejaria e Malte, em Blumenau, SC.

Periodicamente,  promovo cursos e treinamento para homebrewers e cervejeiros em diversos estados.

Entrevista: Herbert e Cocó, os ganhadores do 1o Concurso de Cerveja

 

Ainda assimilando o resultado, batemos um papo com os associados da Acerva Amazonense Hebert e o Luis Alberto (Cocó) , parceiros nas produções vencedoras do 1o Concurso de Cerveja Caseira da Amazônia, organizado pela Liga Amazônica de Cerveja. O Resultado do Concurso você encontra aqui.

1. Estou aqui com os grandes campeões do 1 Concurso de Cerveja Artesanal da Liga Amazônica de Cerveja, Hebert Pires e Luis Alberto “Cocó”. Eles levaram o primeiro lugar na categoria American Ipa e terceiro lugar na Categoria Livre com uma Tripel com Cupuaçu.
Como foi pra vocês começarem a produzir cerveja em casa?

Luis Alberto: Herbert e Eu somos cunhados, e fizemos um curso de cerveja artesanal para iniciantes, há uns 3 anos, e já de início, o Herbert mesmo fez as panelas e fermentador para 20 litros, e fizemos então nossa primeira cerveja: uma IPA. De lá para cá, como a receptividade dos nossos amigos/degustadores foi a melhor possível (as cervejas realmente ficavam cada vez melhores), não paramos mais, e as panelas e fermentadores só foram aumentando de tamanho. Já se vão mais de 25 estilos de cerveja. Confesso que se não fosse a determinação e interesse do Herbert, ainda estaríamos pensando em produzir a nossa primeira breja.

 

2. 25 estilos? É bastante coisa para 3 anos. Quais foram suas receitas favoritas durante esses 3 anos de caseiros?

Herbert Pires: Fizemos algumas cervejas que nos marcaram: a nossa primeira Tripel foi com Carambola, acho que foi uma das 6 primeiras receitas, e ficou demais. A partir dai já se foram 3 receitas de Tripel: Tripel Carambola, Tripel de Tâmara, e Tripel de Cupuaçu que foi para o concurso. Alguns outros estilos que fizemos e que realmente teve resultados muito bons, foram: Oatmeal Stout, uma Blonde com Taperebá, uma Quadrupel com guaraná, uma Munick Helles que ficou sensacional, além das IPAs.

Luis Alberto: Fazemos brassagem praticamente um sábado sim e um sábado não, o que vem nos dando um bom knowhow e reduzindo cada vez mais a nossa margem de erro. É com os erros e acertos que aperfeiçoamos nossas receitas. Concordo com o Beto, e embora tenhamos preferências distintas quanto ao estilo de cerveja, somos uníssonos em reconhecer quais cervejas atingiram as nossas expectativas – algumas até superaram – e quais merecem evolução. Diria que as 3 Tripels (carambola, Tâmara e cupuaçu) ficaram excelentes, assim como a Quadrupel de guaraná, a Oatmeal Stout (e olha que as Stouts nem estão entre as minhas preferidas), a Blonde de Taperebá, a Helles, e diria que a nossa última cerveja, uma Amber Ale, que está no limite entre uma Brown Ale, dará muito o que falar, embora ainda esteja em fase de envase.

 

3. Notei que o maquinário de vocês está ficando cada vez mais profissional. Qual o próximo passo da dupla?

Herbet Pires: Realmente estamos nos dedicando ao longo destes anos e acreditamos em uma evolução natural partindo em breve para uma produção mais profissional.

Luis Alberto: Começamos como uma brincadeira, que virou hobby habitual, e agora sim, com a receptividade que estamos tendo, pretendemos alçar voos mais altos. Já temos projetos a caminho…

 

4. Como foi o processo para decidirem a receita da American Ipa que ganhou o primeiro lugar no Concurso?

Herbert Pires: Temos um gosto bem distintos para cervejas, o Cocó é mais para os estilos Belgas e cervejas mais fortes, eu sou mais para os estilos tradicionais (Alemão e Inglês), acho que isto fez com que surgisse uma parceria perfeita. Para a receita da IPA 6 lúpulos, procuramos montar uma receita que fosse mais agradável ao público em geral (menos com cara de “IPeiros” ), com Armagor, Sabor e aroma na medida. Acho que isto foi a chave para o nosso sucesso.

Luis Alberto: A receita da IPA campeã foi pensada pelo Herbert, depois que decidimos fazer uma cerveja 6 lúpulos. Já tínhamos feito excelentes IPAs, mas queríamos algo mais equilibrado e sofisticado, e quando vimos o resultado final, resolvemos mandar para o concurso. E como visto, acertamos em cheio… rs rs

 

5. Mudando um pouco de assunto…muito se fala que o Brasil deveria ter um estilo próprio de cervejas. Vendo que vocês sempre fizeram experimentações com ingredientes regionais e sabendo da nossa abundância nesse tipo de recursos na nossa região  então o caminho da cerveja brasileira seria esse?

Herbert Pires: Achamos que o Brasil nunca terá uma escola cervejeira, porém acreditamos que o diferencial que temos com relação aos padrões Europeus e Americanos são realmente a diversidade que temos com ingredientes regionais e que tem uma apelo muito forte, até porque sabemos que para diferenciar do resto do mundo não teremos como faze-lo sem ser desta forma.

 

6. Nesse ritmo que vocês estão evoluindo a ideia é largar tudo e viver de cerveja?

Luis Alberto: Sou magistrado e não posso exercer nenhuma outra atividade, à exceção do magistério, embora possa ser acionista de empresa, como por exemplo uma cervejaria, e nesse caso, apoiaria todos os passos do Herbert, ajudando no que for possível, desde que não exerça cargo de direção ou que ocupe o meu tempo funcional

Herbert Pires: Para mim, a expectativa é esta. Estou planejado para fazer o curso de Master Brewers Program na UC Davis na California em 2018. Já fiz a aplicação do meu currículo e fui aceito. Só não vai ser em 2017 pois já tinham sido preenchidas todas as vagas.

 

7. Já tiveram aquele lote que deu tudo errado e não teve nem como salvar a cerveja?

Herbert Pires: Ainda não, até porque agente bebe qualquer coisa…kkkkk

Luis Alberto: Ainda não, mas tenho certeza que vamos salvar nem que seja na porrada, respiração boca a boca, desfibrilador ….

Herbert Pires: Agora falando sério, fizemos uma wit de cupuaçu que ficou muito acida (3.9) , mas fizemos o marketing como sendo uma sour e teve gente que adorou….kkkkkk

HAhahahahah…

 

8. Pra finalizar, quais dicas vocês podem dar para quem está começando agora no mundo da produção de cervejas caseiras?

Herbet Pires: Ter controle em todas as etapas do processo; disciplina nos processos de sanitização e conhecimento dos estilos. No nosso caso o tempo de leitura e pesquisa, estar aberto a troca de aprendizado com outros cervejeiros e a quantidade de quilometragem de copo nos ajudaram muito.

Luis Alberto: Humildade pra buscar sempre mais conhecimento, inclusive com pessoas que aparentemente pouco podem acrescentar (muitas vezes essas pessoas lhe acrescentam muito); experiência pra aprender não só com os acertos, mas principalmente com os erros, sanitização e, não esqueçamos, saber o que é uma boa cerveja, e pra isso, tempo de copo é importante … rs rs rs

 

Em nome da Acerva Amazonense gostaria de agradecer a oportunidade e desejar sucesso aos dois pelo excelente trabalho que vem fazendo. Abraços!

 

Abaixo o vídeo da premiação do concurso e festa de 3 anos da Acerva Paraense: